sábado, 27 de agosto de 2016

New York - Battery Park e Clinton Castle




No primeiro dia da nossa estadia em Nova York, fomos logo visitar a Estátua da Liberdade. Para se ir até à ilha onde se encontra, tem de se apanhar um barco que parte da zona sul da Manhattan, junto a Battery Park. Hoje vou mostrar este lindo Parque e o Clinton Castle, que também fica aqui localizado.






Almoçamos no parque de frente para o Rio Hudson. Como nós, haviam imensas pessoas a almoçar por ali. Lá ao fundo conseguiamos ver a Ilha da Liberdade onde se encontra a Estátua da Liberdade e ao lado a ilha Ellis.






Rodeado de edificios bem altos, o Parque é um local excelente para descansar e passear no meio da natureza, fugindo assim ao cimento e vidro da cidade.








Ali se encontra o Memorial aos militares norte-americanos que morreram nas águas costeiras do Oceano Atlântico ocidental, durante a Segunda Guerra Mundial. 






Uma área com uma série de repuxos de água que íam subindo e descendo, fazia a alegria de várias crianças e de alguns adultos que ali se refrescavam.






Ambos voam,  mas um decidiu descansar ...





Na parte norte do parque, junto ao castelo, está um monumento em homenagem às vítimas do dia de 11 de Setembro, "The Sphere". Esta esfera pesa mais de 22 toneladas e é feita em bronze. É uma obra do escultor alemão Fritz Koenig. A escultura estava anteriormente no meio da Austin J. Tobin Plaza, a área entre as torres do World Trade Center. Foi recuperada dos escombros das Torres Gêmeas após os ataques de 11 de setembro, tendo sido desmantelada em componentes. Foi depois reconstruída e colocada neste parque. Embora tenha permanecido estruturalmente intacta, são visiveis os danos causados.





O Clinton Castle foi construído como um forte pouco antes da guerra de 1812. Tornou-se propriedade da cidade depois da guerra e foi renomeado Castelo Clinton, em homenagem ao governador da altura DeWitt Clinton. Foi a primeira estação de triagem de imigrantes da cidade de Nova Iorque.





Escultura "The Immigrants" de autoria de Luis Sanguino





O Clinton Castle foi  considerado Monumento Nacional em 1946. Tem uma pequena exposição e, ocasionalmente, são lá dados concertos.








Dentro do largo do castelo, encontra.se o escritório de venda de bilhetes para os ferries que vão até à Estátua da Liberdade e à ilha Ellis. Graças a Deus que tinhamos comprado antecipadamente pela Net, pois a fila para entrar no ferrie, era bem grandinha para os turistas que tinham bilhetes comprados ali, por isso, sem marcação prévia.




Próximo post sobre Nova York: Estátua da Liberdade


Desejo-te Tempo - Poema de Elli Michler





Não te desejo todos os bens do mundo,
Apenas te desejo aquilo de que gosto mais:
Desejo-te tempo – para sorrires, para rires.
Usa-o bem – podes vir a conseguir.

Desejo-te tempo para acções e pensamentos,
Não só para ti, mas também para os outros.
Desejo-te tempo, não para pressas e correrias,
Mas para te instalares, ai, onde pertences acima de tudo.

Desejo-te tempo, não para esbanjares,
Mas para teres e conservares, deixando algum de sobra
Para te emocionares perante a vida, para confiares no seu curso,
Em vez de seguires o ritmo inflexível das horas.

Desejo-te tempo para alcançares as estrelas
E tempo para cresceres, para seres quem és.
Desejo-te tempo para esperanças novas, para amares de novo.
Pois não adianta deixar esse tempo para depois.

Desejo-te tempo para te encontrares,
Para encher cada dia, cada hora, de alegria.
Desejo-te tempo para esqueceres o que precisas.
Desejo-te: tempo para viveres!


Elli Michler


sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Tenho Medo de Perder a Maravilha - Poema de Federico García Lorca



Tenho medo de perder a maravilha
de teus olhos de estátua e aquele acento
que de noite me imprime em plena face
de teu alento a solitária rosa.

Tenho pena de ser nesta ribeira
tronco sem ramos; e o que mais eu sinto
é não ter a flor, polpa, ou argila
para o gusano do meu sofrimento.

Se és o tesouro meu que oculto tenho
se és minha cruz e minha dor molhada,
se de teu senhorio sou o cão,

não me deixes perder o que ganhei
e as águas decora de teu rio
com as folhas do meu outono esquivo.


Federico García Lorca




quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Os Passáros do PINTOR Bradley Jackson




O artista Bradley Jackson cresceu nos bosques de Maine do norte nos EUA, nas margens do rio do St. John, onde desenvolveu o seu profundo carinho e amor pela natureza e vida selvagem.






As suas pinturas celebram o espírito da natureza e trazem de volta memórias de tempos idos.






O deserto, as maravilhas da natureza e da vida selvagem têm um fascínio muito especial para ele. As estações em constante transformação criam uma fonte inesgotável de inspiração que acena ao seu coração e à sua mão, criando belas e maravilhosas telas.







As suas obras encontram-se em muitas coleções particulares pelo mundo fora e já expôs em a sua arte em locais como: a Exposição Nacional da Vida Selvagem Arte em Kansas City, KS; o Festival da Vida Selvagem em Tulsa, OK, Sudeste Wildlife Exposition, Charleston, SC, o Festival Art Wildlife Michigan em Southfield, MI, e no Festival de Aves aquáticas em Easton, MD.






As pinturas são magnificas, com cores luminosas e exuberantes.
Para conhecer mais sobre a obra deste incrível artista, visite o seu site pessoal : Bradley Jackson




"Deixe que cada um exercite a arte que conhece." (Aristóteles)