terça-feira, 6 de dezembro de 2016

O PINTOR - Abraham Hunter - Inverno




Embora Abraham Hunter seja ainda um jovem pintor as suas obras são espectaculares.




Hoje vou mostrar: O Inverno





Segundo ele, percebeu que Deus lhe tinha dado um talento muito especial aos 12 anos de idade. Aos 14 anos, começou a aprimorar as suas habilidades e a perseguir o seu talento artístico como uma carreira.





Ao longo destes últimos anos Abraham alcançou imenso sucesso, atribuindo o mesmo à sua fé em Deus e ao apoio da família e amigos.





É um artista autodidata, o que não foi fácil no principio da sua carreira, mas estudando a natureza e usando fotos de referência, Abraham foi capaz de ir melhorando cada vez mais a sua arte, tendo recebido já vários prémios.





Para conhecer mais sobre a obra deste incrível artista visitem o seu site Pessoal: “Abraham Hunter Art”





"A finalidade da arte é dar corpo à essência secreta das coisas, não é copiar a sua aparência." (Aristóteles)

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Chamar a si todo o céu com um sorriso - Poema de E. E. Cummings





Que o meu coração esteja sempre aberto às pequenas
aves que são os segredos da vida
o que quer que cantem é melhor do que conhecer
e se os homens não as ouvem estão velhos

que o meu pensamento caminhe pelo faminto
e destemido e sedento e servil
e mesmo que seja domingo que eu me engane
pois sempre que os homens têm razão não são jovens

e que eu não faça nada de útil
e te ame muito mais do que verdadeiramente
nunca houve ninguém tão louco que não conseguisse
chamar a si todo o céu com um sorriso


E. E. Cummings,



domingo, 4 de dezembro de 2016

Cana-da-índia




Lindas e elegantes, são originárias do continente americano, desde a Carolina do Sul ao norte da Argentina.




Pertencem à família Cannaceae e são conhecidos entre outros nomes populares por: cana-índica, cana-da-índia, beri, bananeirinha-da-índia, bananeirinha-de-jardim, biri. 




É uma planta herbácea, rizomatosa, originada de hibridações e melhoramento com várias espécies.




As suas folhas são firmes, largas e grandes, bastante bonitas, elas podem ser em tons de verde ou arroxeadas. As inflorescências muito vistosas produzem flores grandes vermelhas, amarelas ou alaranjadas.




Deve ser cultivada em solos férteis e sempre ligeiramente húmido mas sem estarem encharcados.




Paisagisticamente é utilizada em maciços, canteiros, bordaduras ou ao longo de muros.




Texto explicativo: Wikipedia
Fotos: Pessoais

sábado, 3 de dezembro de 2016

Oração da noite - Poema de Cecília Meireles




Trabalhei, sem revoltas nem cansaços,
No infecundo amargor da solitude:
As dores, - embalei-as nos meus braços,
Como alguém que embalasse a juventude...

Acendi luzes, desdobrando espaços,
Aos olhos sem bondade ou sem virtude;
Consolei mágoas, tédios e fracassos
E fiz, a todos, todo o bem que pude!

Que o sonho deite bênçãos de ramagens
E névoas soltas de distância e ausência
Na minha alma, que nunca foi feliz.

Escondendo-me as tácitas voragens
De males que me deram, sem consciência.
Pelos míseros bens que sempre fiz!... 


Cecília Meireles

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Os Pedidos ao PAI NATAL




Hoje a estrela do meu DIVAGAR é uma personagem do mundo das crianças de Ontem, de Hoje e espero sinceramente que de Amanhã também ...



Pintor: Dona Gelsinger


Portador de alegrias e sonhos,  a sua Lista de Pedidos para o Natal deve ser imensurável .... no meu tempo de criança, todos escrevíamos cartas ao Pai Natal, que depois eram entregues, à nossa professora da escola primária, pois como ela dizia, era a mensageira que as iria enviar.


Pintor: Marcello Corti


No nosso universo infantil, o Pai Natal vivia no Polo Norte


Pintor: Dona Gelsinger


Sempre rodeado de animais que o admiravam e de quem ele tanto gostava.


Pintor: Marcello Corti


Ao longo do ano ia fazendo um mundo de brinquedos para depois oferecer.


Pintor: Dona Gelsinger


Verificava na sua Lista todos os pedidos feitos, para que nenhum fosse esquecido.


Pintor: Marcello Corti


É claro que também tinha de ir descansando, aproveitando nessa altura, para beber um café bem quentinho, afinal, ele estava no reino das neves, onde o frio era imenso.


Pintor: Marcello Corti


Quando todos os brinquedos estavam feitos, colocava-os num enorme saco para mais tarde os ir entregar.


Pintor: Dona Gelsinger


Na altura do Natal, pegava no seu saco e saía para ir distribuir brinquedos e alegrias.


 Pintor: Dona Gelsinger


Voava de trenó com as suas renas especiais, trazendo presentes para todos os meninos que se tivessem portado bem.


Pintor: Dona Gelsinger


Tradicionalmente ele descia pelas chaminés


Pintor: Marcello Corti


E entrava nas casas para colocar os presentes


Pintor: Marcello Corti


Se alguma criança estivesse acordada, sentava-se e contava-lhe uma história ou cantava-lhe uma das imensas canções de Natal que ele tão bem conhecia.


Pintor: Marcello Corti


Que tempos mágicos eram esses, em se acreditava no PAI NATAL e todos os sonhos e desejos pareciam alcançáveis.


Pintor: Marcello Corti


Se me perguntarem se os meus pedidos de Natal se realizavam, eu respondo que é claro que não (a minha família era muito humilde),  mas não fazia mal, o importante era todo aquele encanto que envolvia a época Natalícia,  eu sabia que o "Pai Natal", nunca se esquecia de mim, e sempre deixava uma pequena lembrança no meu sapatinho. Ainda hoje na minha casa, na noite de Natal, é sempre deixado o sapatinho de cada um junto ao fogão, e de manhã, há sempre um pequeno miminho. Que nunca se percam os sonhos, a esperança e a magia do NATAL.




quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Onde me levas rio que cantei - Poema de Eugénio de Andrade




Onde me levas, rio que cantei,
esperança destes olhos que molhei
de pura solidão e desencanto?
Onde me levas?, que me custa tanto.

Não quero que conduzas ao silêncio
duma noite maior e mais completa,
com anjos tristes a medir os gestos
da hora mais contrária e mais secreta.

Deixa-me na terra de sabor amargo
como o coração dos frutos bravos,
pátria minha de fundos desenganos,
mas com sonhos, com prantos, com espasmos.

Canção, vai para além de quanto escrevo
e rasga esta sombra que me cerca.
Há outra face na vida transbordante:
que seja nessa face que me perca.


Eugénio de Andrade

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

PARABÉNS António


Hoje é um dia ESPECIAL o meu marido é aniversariante.







António, que hoje e sempre o teu caminho seja pleno de Saúde,  Paz,  Amor   Felicidade e ...

Alegria de Viver


Amo a vida.
Fascina-me o mistério de existir.

Quero viver a magia
de cada instante,
embriagar-me de alegria.

Que importa a nuvem no horizonte,
chuva de amanhã?
Hoje o sol inunda o meu dia.


Helena Kolody




Desejamos-te um dia MUITO FELIZ

Beijinhos de  TODOS nós. 




terça-feira, 29 de novembro de 2016

Nova York - Grand Central Station




Nas nossas férias a Nova York um dos locais que visitamos foi a Grand Central Terminal.







Grand Central Terminal, é um importante terminal ferroviário e metro viário localizado em Manhattan, Nova Iorque. Foi inaugurado em 1903 com o nome Grand Central Station, que foi oficialmente alterado em 1913 para Grand Central Terminal. No entanto o antigo nome é ainda usado para referir este terminal. 






Faz ligação com o metro através da estação adjacente Grand Central–42nd Street. É considerada a maior estação ferroviária do mundo, com 44 plataformas, em dois níveis, com 41 linhas no nível superior e 26 no inferior. Em média, 125 mil usuários passam por ela todos os dias.






Tem uma arquitetura maravilhosa e imponente. Foi nomeada Marco Histórico Nacional em 1976.






Fotos: Família Rodrigues ( António, Pedro e Maria  )
Texto explicativo: Wikipedia
Próximo Post: New York Botanical Garden (Jardim Botânico de Nova York)