quarta-feira, 7 de junho de 2017

Itinerário





Primeiro, foram os verdes
e águas e pedras da tarde,
e meus sonhos de perder-te
e meus sonhos de encontrar-te...


Mas depois houve caminhos
pelas florestas lunares,
e, mortos em meus ouvidos,
mares brancos de palavras.


Achei lugares serenos
e aromas de fonte extinta.
Raízes fora do tempo,
com flores vivas ainda.


E eram flores encarnadas,
por cima das folhas verdes.
(Entre os espinhos de prata,
só meus sonhos de perder-te...)



Cecília Meireles In Poesia Completa





3 comentários:

  1. Que lindo itinerário e poesia! bjs, bom dia! chica

    ResponderEliminar
  2. Um poema muito belo querida amiga, muitos beijinhos felicidades

    ResponderEliminar
  3. Lindo e realista, Maria!
    A Cecília Meireles me encanta sempre.
    Valeu!!!

    BJK
    JAN

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.